Uma Criança e um Pacote de Bisnagas

Não consegui dormir. Tinha as milhares de coisas de sempre pra fazer e passei a noite em claro não fazendo nada além de pensar nas tarefas eternas até o fim dos meus dias. O mau humor foi inevitável. Depois de abrir e fechar os olhos por no máximo 3 horas o telefone tocou pela última vez. Era o momento de abrir o portão e esperar a criança.

Antes mesmo de me cumprimentar foi entrando pela casa, com a autoridade de um dono do território. O menino mora com a minha mãe e nasceu dela assim como eu, mas desde cedo já enfrenta os conflitos de personalidade, de geração, ou como você prefira chamar essa coisa estranha que acontece em toda família e que faz os pais sempre discordarem dos filhos. Ele trazia apenas a roupa do corpo, uma sacola plástica com uma jaqueta jeans, um chinelo para trocar pelas sandálias e um pacote de bisnagas. E uma energia tão grande que nunca cabe só nele.

Você conhece as crianças: elas pulam, gritam, teimam, fazem pirraça e quase sempre ignoram os seus motivos de adulto para ter pelo menos alguns instantes de silêncio e solidão durante o dia. Você não conhece o meu irmão. Ele é uma criança, e só trouxe de casa o pacote de bisnagas. Não veio com o manual de instruções, o botão de liga-e-desliga, nem o desenvolvimento dos dois ouvidos pra falar menos e escutar mais. O único universo que interessa é o que está na cabeça dele.

É claro que eu comecei com as táticas de pedir, explicar, e fazê-lo se envolver nas pequenas tarefas, pelo menos verbalmente, para conseguir fazer o almoço (hambúrguer, arroz colorido e batatas fritas). Até aí tudo bem, tudo nos limites da civilidade. O problema, na verdade, é o excesso de felicidade que, segundo ele, é o motivo de todas as bagunças e gritarias que ele faz. Depois de devidamente abastecido o menino se transforma em gremlin (aqueles bichinhos lindos e fofinhos que viram monstros pentelhos e terríveis quando encostam em água, lembra?).

Foi a vez do reconhecimento do território (que durou o dia inteiro): Inspecionou praticamente todos os cômodos da casa, fez infinitas perguntas sobre os xampus e cremes de cabelo, a ausência da minha avó, a festa que ele pretende fazer aqui em casa sem pedir o meu pai, desarrumou ainda mais o meu quarto, fez performances artísticas, colocou todos os potes de biscoito na mesa, molhou o biscoito na coca-cola até derrubar o vidro, atrapalhou o cabelo e o sossego da minha namorada e quase me impediu de fazer o meu programa na rádio online. Também andou de costas na rua, não entendeu a diferença entre gostar e amar e conseguiu me deixar sem espaço para pensar.

No fim, entendi: ele só tinha o pacote de bisnagas. Mas queria o mundo e o mundo não cabia nele. O próprio querer era maior que o mundo. E qualquer ordem, regra ou orientação eram como prendê-lo no pacote. Duro demais pra digerir com os sonhos macios e infinitos de uma criança que não aceita limites.

About The Author

facebook-profile-picture
Paola Giovana
Gosto de me reinventar, sentir o sabor do novo e das infinitas possibilidades da existência. Tenho tendência ao vício pelas coisas boas, obsessão pelo conhecimento e amor pela arte. Sob o signo de Capricórnio, meu destino é conquistar!

6 Comments

  • Mari Andrade on 14 de outubro de 2011

    adoro qndo vc escreve, meu amor! além de tantas outras coisas lindas que vem de você, a escrita é sempre intimista e verdadeira!
    Parabéns pela primeira de muitas outras crônicas!
    te amo!

    • Paola Giovana on 14 de outubro de 2011

      Ei minha linda! Gosto que você goste de mais coisas em mim. As palavras são sempre tão importantes! Que venham muitas outras em nossa vida =*
      Amo muito você! ♥

  • Fernando Santosa on 14 de outubro de 2011

    Muito bom!

  • Vinícius Delvalle ♕ (@its_vinnie) on 15 de outubro de 2011

    seu irmãozinho deve ser uma graça né? até imagino que loucura! hahaha
    seu blog tá lindo irmã, amei tudo!
    te amo muito lolinha 🙂

    • Paola Giovana on 15 de outubro de 2011

      Ei amigo!
      Ele é uma delícia de menino, apesar da hiperatividade dhaduahdua
      Que bom que gostou do blog!
      Tb amo vc! =*

O que você acha disso?