Imagens (dramática ou cômica) e Gramelô – Fundamentos de Direção – 08/04/2015 – DB04A06

Imagens dramáticas ou cômicas

Nesta aula trabalhamos com imagens dramáticas ou cômicas, a exemplo do que fizemos na aula de Interpretação I. De acordo com o professor, estes exercícios têm como referência o trabalho de Viola Spolin na área dos jogos teatrais e do improviso.

Levei a mesma imagem da aula de Interpretação I, pois não tive condições de encontrar uma nova imagem a tempo. Houve algumas diferenças no modo de execução do exercício, no entanto. Para cada cena apresentada individualmente havia três momentos: o primeiro, em que deveríamos apresentar a imagem apenas com ações, sem fala; o segundo, com uso da fala apenas quando julgássemos imprescindível; e o último, no qual deveríamos substituir a fala pelo gramelô.

Das anotações, eis o que restou:

  • Diferença entre mostrar e contar
  • Cuidado com o uso da fala/palavra como muleta
    • Uso deste recurso apenas quando for necessário, essencial, entendendo-o como elemento independente e não apenas complementar às ações.
    • O ideal é que as ações dêem conta da maior parte da cena, enfatizando o caráter de mostrar mais do que contar
  • Gramelô = blablação
  • O corpo também pode ser usado para indicar gradação na cena. Por exemplo, quando se começa com ações menores, mais contidas e vai-se expandindo os movimentos e o ritmo da atuação.
  • Diminuir a clareza das palavras intencionalmente pode ser algo útil para gerar um esforço de compreensão do espectador.
  • O uso da respiração pode ajudar na construção das emoções e colaborar para a significação que o espectador produz de determinadas ações.
  • Para pensar/pesquisar depois: relação entre Platão e Walter Benjamin a respeito da autenticidade.

Ah! Não posso deixar de contar que a peça que irei dirigir já foi escolhida, já tenho atrizes disponíveis e sala reservada para os ensaios. =p

About The Author

facebook-profile-picture
Paola Giovana
Gosto de me reinventar, sentir o sabor do novo e das infinitas possibilidades da existência. Tenho tendência ao vício pelas coisas boas, obsessão pelo conhecimento e amor pela arte. Sob o signo de Capricórnio, meu destino é conquistar!

No Comments

O que você acha disso?