Sobre Ausências

É tão estranho isso de pensar na morte como a única saída. É ainda mais estranho doer tanto no coração a partida de alguém que conhecia pouco, mas por quem nutria grande empatia e afinidade. As pessoas conquistam não apenas com conversas, mas também com sorrisos. E era pelo sorriso daquela garota e pelo modo […]

2014 – A Virada – Adeus, Ano Novo!

Os anos agora passam sem que seja possível notar a diferença entre os dias 31 de dezembro e 1º de janeiro. A sensação é de um continuum em que a única coisa que se altera, além do último algarismo que escrevemos nas datas, é a quantidade de fracassos que acumulamos. Início de ano, portanto, é […]

A Fuga

Passa por baixo da cerca, não pode pulá-la. Olha pros lados, disfarça, e caminha displicente. Alcança uma rua movimentada. Há carros, barulho, buzinas. A cidade observa e testemunha a fuga virando a esquina. Ali, onde ninguém deveria te conhecer, um rosto familiar. A moça da TV te sorri, você a leva pro bar. Depois de […]

Heroína

Alguém através de mim quer escrever e se fazer ouvir. Alguma alma aleatória quer grafar randomicamente pedaços de palavras soltas e talvez sutis. Éter, Ester, estrela. Ex-bandida do almanaque envelhecido jogado na rua. Encontrada depois da enxurrada. Amarelada, mofada, podre nas páginas desgastadas e decadentes de mais uma vida esquecida. Ela também já fora heroína.

Insônia

Acordei chorando ontem. Chorei por tudo aquilo que não fui (por tudo aquilo que não pude ser). É certo que fechei os olhos na tentativa explícita de sonhar. Acreditei que eles, os sonhos, só pudessem ser encontrados naquele estado cego, naquela vertigem que impediria, por fim, o ego de me controlar. Pensei que abria os […]

Do Fogo e do Vento

Sussurro fresco e cálido Incendeia. A fluidez das palavras Ultrapassa a teia.   Sou vulcão, és sereia. Toda a brasa em que mergulha, Todo o néctar em que me embebo. No final, sua doçura Pura bruma, enlevo em segredo.   Por mais distante, ainda seu canto. Por mais vibrante o meu desejo Por mais profundo […]

Memórias

Da próxima vez que alguém vier me perguntar há quanto tempo estamos juntas, eu direi: estive com ela a vida inteira, mas só agora me dei conta. Não fui avisada. Atravessou-me como sempre me pertencesse, como se encaixasse sem esforço algum em minha vida, nesta minha vida de agora; vinda de outros tempos, outras histórias, […]

Cachos

Vim colher meus cachos. Eles florescem em suas mãos. Recolho todos os feixes, os fachos de luz frutificando perdão. Não vejo as sobras, as sombras, nem flores murchas no chão. Tudo amadurece e se renova: As flores, os traços, as cores, reflexos luminosos dos meus beijos.   Tudo permanece invariavelmente mutável: A dança sutil da […]

Volver

Às vezes te decifro facilmente e a poesia da paixão simplesmente dói um pouco mais enquanto preenche todo o meu ser. Perco o ar, porque estou repleta. Volto involuntariamente à vida, e percebo que isso (voltar) é quase morrer, quando o que me move já não se encontra dentro de mim.