(Ca)Fé…

“Meu coração vagabundo quer guardar o mundo em mim” Perceber a pureza do puro pó de café calar as coisas, colar os cacos, cansar o cansaço sem esquecer aqueles cigarros as cinzas que eu sou as suas cicatrizes e o resto do belo que alguém já tocou. Entrega Entrego Derramo e devoro. O encontro embaçado […]

Do Fogo e do Vento

Sussurro fresco e cálido Incendeia. A fluidez das palavras Ultrapassa a teia.   Sou vulcão, és sereia. Toda a brasa em que mergulha, Todo o néctar em que me embebo. No final, sua doçura Pura bruma, enlevo em segredo.   Por mais distante, ainda seu canto. Por mais vibrante o meu desejo Por mais profundo […]

Verbo Caído

Nunca vou me esquecer da chuva daquela tarde. Não era apenas ela que caía. Eu também me diluía, gota a gota, carne-viva escorrendo pelas grades dos esgotos. Parecia fácil, não fosse a dor que me tomava a cada gole que a terra bebia impiedosamente, sedentamente, rigorosa. Depois de me atirar em vários moinhos, resolvi não […]

O Retorno da Palavra

Tenho uma paixão secreta pelas palavras cravadas no papel. Exala delas o cheiro do seu esmalte vermelho vivo, sua rubra cor ao escrever desejos mais que proibidos, desejos meus. Havia muito tempo eu não te via assim tão sóbria, sem aquela aura louca que me convertia em seu brinquedo secreto. Desde a última vez em […]

Afeto

O Afeto afeta o fato (o tato) a foto o feito Constrói memórias fortes dentro do peito Não se afaste antes do gesto Ser afetada corrói o tempo.   Ouro Preto – 28/07/2017

Sem saber

Cheiro de incenso Vindo do nada. Sabor de corpo na madrugada. Nos desejos que eu não mando Acontece quase sempre um contra-senso. Isso virou quase um defeito: O que importa é o efeito. Ainda que não venha nunca o Instante Distante, Destoante, Controverso.

Remédio para o caos

A pensar estava eu, Sozinha, aflita, quase no breu. Procurava acender uma luzinha Na minha alma já fraquinha. Estive onde, que não me lembro? Como, quando e com quem foi? Só sei que não entendo, E escrever não é mais alívio. Há coisas me incomodando. No silêncio, o caos, Criando e descriando Incessantemente. Na minha […]

Cartas

Belo Horizonte – 09 de março de 2011 Querida Paola, Lembro de quando eu havia vivido metade da vida que vivi até agora. Naquela época ainda se escrevia muitas cartas, poucos emails. Na época de Clarice muitas mais, eu sei. Agora não sei se me recordo como se escreve uma carta… Penso que é preciso […]

Breves reflexões sobre o filme “A Chegada”

Ontem assistimos “A Chegada” (2016 – Dir.: Denis Villeneuve). Poderia também ser chamado “A Espera”, por causa dos inúmeros planos que criam momentos de tensão e expectativa sobre como seriam os extraterrestres; tensão que não se resolve satisfatoriamente por meio das imagens, embora não se deixe de mostrar brevemente os alienígenas por inteiro quase ao [...]

Crítica – Espetáculo “Clube do Fracasso”

O espetáculo “Clube do Fracasso” aborda a pressão de sucesso em nossa sociedade, propondo questionamentos sobre o peso da obrigação de ser bem sucedido em todas as esferas da vida. Através de uma estrutura narrativa organizada em “quadros”, e cenas separadas por unidade temática – indicada por “títulos” projetados ao estilo dos intertítulos do cinema […]

Casa Vazia

O que eu vejo é casa vazia casco de caracol. Há quanto tempo você partiu e não me avisou? Eu tentando sozinha. Eu e seu holograma. A atração se desfez, estou fora da sua órbita. E agora? Tem seu próprio sistema. Pra mim, qualquer coisa que sobra. Recolho meus cacos, minhas coisas, abraços, roupas e […]

Estranha

Como é difícil olhar pra si sem artifícios. Enxergar as sombras que se ocultam por detrás de nossos joelhos, o desejo amarrado por entre os dentes… Ás vezes é impossível mesmo através do espelho. Ele não reflete a dor, a orgia dos pensamentos indefinidos, a delicadeza que fura o peito. Minhas entranhas têm rimas estranhas […]

Encouraçado Viajante

De que adianta tocar o coração de um viajante, se no próximo instante ele veleja e se posta distante? Deve ser sempre roubada roubar o coração de um viajante. Ah, se eu fosse marinheiro! Sei que velejarias no meu barco sem âncora e aportarias em qualquer cais. Mas o que interessa, viajante, são as ondas, […]

Partida

Ela passou com os olhos marejados, rareando os passos para ver se o tempo passava mais lento. Não havia ainda sinal de partida, nenhum aceno de adeus. Despedia-se de um prédio vazio. A memória cheia de pessoas que ainda não haviam partido. Era a primeira a descobrir que as paredes asfixiavam, que os abraços prendiam […]